5 passos para saber se a gestão da sua empresa está indo bem

O impacto de uma boa gestão da empresa é significativo para a expansão e o crescimento de um negócio. Isso pode ser conquistado por meio do desenvolvimento dos profissionais que atuam internamente e da implementação de estratégias, só para citar alguns exemplos. O fato é: até que ponto a empresa tem controle e sabe se o trabalho realizado está gerando resultados?

Esse é o tema deste artigo, no qual reunimos os principais passos para saber se a gestão da sua empresa está indo bem. Continue a leitura e aprenda a mensurar o seu sucesso!

Saiba qual é a importância da gestão da empresa

Um bom processo de gestão é o mínimo que deve ser feito para que a sua empresa se mantenha no mercado. Por meio desse trabalho administrativo é possível não só encontrar melhores soluções para o negócio, como também decidir o que precisa ser feito para alcançar os resultados estabelecidos no planejamento estratégico.

A sinergia das operações organizacionais depende, justamente, do alinhamento entre a gestão e estratégia. Sem uma boa gestão, por exemplo, é impossível aplicar estratégias e crescer nos diferentes setores: RH, Marketing, Financeiro etc. Ou seja, ela é o pilar que sustenta todo o projeto organizacional.

Para garantir sua eficácia é necessário considerar as particulares do empreendimento e se os objetivos estão sendo atingidos, sendo necessária uma avaliação constante. Logo, estabelecer alguns passos é essencial para verificar se o processo gerencial está sendo bem executado, quais melhorias podem ser feitas e quais mudanças são necessárias.

1. Verifique a lucratividade

Os demonstrativos financeiros mostram uma alta quantidade de entradas, mas isso, de fato, significa que a empresa está tendo lucro? Nem sempre. Também é importante comparar os valores relativos às saídas. Um dos maiores desafios para as organizações é, exatamente, tornar o negócio rentável e conseguir obter lucros que sejam capazes de arcar com todas as despesas.

No entanto, não se deixe enganar quando os números apontarem que a renda é suficiente para pagar os custos do negócio. Quer saber se a gestão da empresa está funcionando bem? Deixe de olhar somente para o fluxo de caixa e passe a apurar os resultados de cada período.

Assim, será possível não só identificar quais fatores estão comprometendo a lucratividade, mas também estabelecer um equilíbrio para que o negócio gere dividendos suficientes para fazer tanto pagamentos como investimentos.

Um cálculo básico para isso é subtrair do faturamento os custos variáveis, o que resultará em um total correspondente à margem de contribuição. Se for positivo, o resultado é lucro; se for negativo, é prejuízo. É recomendável que você faça uma análise em um espaço de tempo mínimo de seis meses; assim, será possível ter um controle maior sobre as lacunas da gestão.

2. Analise o ticket médio

O valor do ticket médio de compras é essencial para entender como está funcionando a dinâmica das vendas — algo diretamente ligado à boa gestão. O valor dele pode ser obtido por meio de diferentes grandezas, como: por cliente, por venda e por vendedor.

Por meio desses indicadores será possível analisar o desempenho do setor de vendas e identificar ações que ajudem a maximizar os resultados e também a detectar os aspectos que precisam ser melhorados.

O cálculo padrão de ticket médio se dá pelo faturamento em X meses dividido pelo número de meses (X), que posteriormente será dividido pelo número de clientes.

Por exemplo: se o número tem reduzido, é possível verificar se isso está ligado ao desempenho dos colaboradores responsáveis pelas vendas. Assim, a gestão pode ser melhorada com relação ao pessoal — e existem diversas maneiras de fazer isso, como aumento da cesta de benefícios (maior motivação), treinamentos (suprir as falhas na abordagem), entre outros.

3. Observe o índice de produtividade

O índice de produtividade ajuda a medir a eficácia com a qual os colaboradores atuam internamente. Ele é um bom indicador de gestão da empresa, principalmente porque ajuda a identificar como está a performance do seu ativo mais importante: o colaborador.

A baixa produtividade pode ter várias causas, como desmotivação, falhas nos processos (que levam a constantes retrabalhos), processos burocráticos e engessados, entre outras. A partir do momento em que a empresa consegue identificar e calcular o que tem levado o número para baixo é possível estabelecer estratégias para reverter a situação.

Existem diversos modelos de cálculos, confira os principais:

  • número de clientes atendidos / número de funcionários;
  • número de clientes atendidos / horas trabalhadas no período.

Nesse último caso, por exemplo, se o número de clientes atendidos for baixo e as horas trabalhadas estiverem altas, vale a pena repensar a gestão do atendimento respondendo a perguntas básicas, como: quais tecnologias podem ser utilizadas para otimizar esse tempo? Quais práticas agilizam o atendimento?

4. Conheça o índice de metas cumpridas

Você sabe qual é a porcentagem de metas cumpridas dentro da sua empresa? Saiba que esse é um dos indicadores mais importantes no que diz respeito à gestão de sucesso. Quanto maior o valor, mais alinhados estão a equipe e os processos organizacionais.

Sua função principal é mensurar o progresso e tornar o crescimento contínuo. Ele está intimamente ligado ao índice da produtividade: equipes mais produtivas tendem a conquistar as metas com mais facilidade.

O cálculo é simples: basta dividir o número de metas cumpridas pelo número de metas determinadas e multiplicar o resultado por 100 para obter a porcentagem. Com isso, será possível determinar o plano de ação gerencial para buscar o aumento desse índice. Isso pode envolver desde melhorias nos treinamentos até estratégias de marketing mais eficazes, por exemplo.

5. Verifique a rentabilidade e o retorno sobre o investimento

A rentabilidade é um índice que ajuda a medir o potencial do negócio, levando em consideração os investimentos realizados nele. Já o prazo de retorno sobre esse investimento indica a atratividade do negócio no mercado. Ambos os índices devem ser trabalhados em conjunto e são essenciais para medir a qualidade da gestão empresarial.

Para verificar a rentabilidade é preciso dividir o lucro de um período pelo investimento inicial realizado (ou atual valor de mercado). A partir disso, obtém-se a porcentagem do lucro líquido. Se o índice estiver muito baixo, vale a pena rever as questões ligadas às vendas, gastos e também procurar pelos pontos nos quais o investimento poderá gerar um retorno maior.

Falando em retorno, para avaliar em quantos meses o negócio se pagaria é importante levantar todo o investimento realizado e dividir esse número pelo lucro mensal. O Prazo de Retorno do Investimento (PRI) varia muito de um negócio para o outro. Por isso, é sempre importante saber sobre o mercado no qual a empresa está inserida e se o lucro provê a sustentabilidade do empreendimento.

Os índices apresentados ajudam a verificar a qualidade da gestão da empresa e embasar o planejamento estratégico. Lembre-se de que a gestão eficiente ajuda a aumentar a competitividade, visto que é possível antecipar tendências de mercado.

Gostou do conteúdo e quer saber mais sobre como melhorar a gestão do seu negócio? Leia também o post “Automação de processos: como preparar sua infraestrutura de TI”!