Valuation: você sabe quanto sua empresa vale no mercado?

Imagine a seguinte situação: você deseja comprar um apartamento. Depois de ter decidido isso, a primeira coisa é encontrar um imóvel cujo valor se encaixe na faixa de orçamento que você tem disponível. Esse breve exemplo serve para explicar o que acontece nas empresas, sendo o valor que elas possuem determinante para que os investidores decidam se vale a pena ou não aplicar capital nelas. A esse caso específico damos o nome de valuation.

Mas como medir o quanto uma empresa vale no mercado? Essa é a dúvida de muitos gestores. No artigo de hoje, explicaremos não só como realizar esse cálculo, mas também os principais métodos de avaliação de empresas e boas práticas para aumentar o valor da organização. Confira!

O que é o valuation?

O termo valuation é usado para designar o valor de uma empresa. Ou seja, de forma bem simplificada, é o cálculo utilizado pelas organizações para avaliar qual seria o preço delas no mercado.

Ter controle sobre esse valor é fundamental, pois ele serve de base para vários processos de tomadas de decisão de uma empresa. Aqui, podemos incluir:

  • potencial de investimento do negócio;
  • fusões e aquisições de empresas;
  • formação de joint ventures (aliança entre empresas);
  • planejamento financeiro e orçamentário;
  • reestruturações corporativas, entre outros.

Por exemplo, se a empresa está começando, como é o caso de startups, fazer esse cálculo é o primeiro passo para conseguir investidores para colocar o negócio na ativa. No entanto, ele também serve para organizações já estabelecidas, mas que não possuem fluxo de caixa ou receita significativa para realizar investimentos em tecnologias disruptivas, por exemplo.

Isso faz com que o cálculo de valuation seja uma realidade para a maior parte dos negócios que desejam se tornar mais competitivos e obter uma fatia maior do mercado. A seguir você aprenderá como realizar esse cálculo!

Como calcular o valuation de uma organização?

Antes de realizar o cálculo em si é preciso reunir o máximo de documentos para fazer a avaliação correta do valor. É o caso, por exemplo, do plano de negócios, bem como de análises de mercado, demonstrações e projeções de resultados, entre outros.

Quando colocado em prática, o método leva em consideração o preço da organização, a capacidade de liquidação após a venda, os riscos de mercado, entre outros elementos que ajudem a determinar os investimentos que a instituição receberá. Existem três métodos para realizar essa equação:

Fluxo de Caixa Descontado (FCD)

É o método mais utilizado, pois tende a chegar a um cálculo mais justo, ou seja, a um valor bem próximo do que será gerado no futuro.

Primeiro, ele leva em consideração a taxa de desconto conhecida como WACC (Weighted Average Cost of Capital), que se refere ao potencial de crescimento do negócio. Como o ambiente econômico influencia esse valor, para o investidor não valerá a pena uma taxa de retorno menor que a inflação. Para ficar mais claro, imagine investir R$ 10 mil e ter 6% de retorno anual: o negócio valerá R$ 10.600 ao final do ano, mas é necessário levar em consideração a taxa de crescimento do mercado e, por isso, a porcentagem aplicada precisa ser maior.

Depois, ele trabalha sobre o cálculo do fluxo de caixa, que diz respeito ao montante de lucro que o negócio vai gerar, considerando uma série de fatores, desde as entradas até os gastos da organização, bem como os riscos.

De modo geral, o método considera os investimentos realizados nos ativos operacionais em um período estimado de 5 anos. Isso faz com que ele não seja o mais adequado para as empresas que ainda entrarão em operação. Em resumo, nesse processo são avaliados: o fluxo de caixa, a taxa de desconto (custos de investimentos), a soma de todos os valores movimentados e o valor residual.

Múltiplos de mercado

Nesse caso, a empresa é comparada com outras organizações que atuam no mesmo segmento e se calcula o seu valor por um múltiplo sobre a receita ou sobre sua margem a fim de obter uma média do valor de mercado. É feita, então, uma análise comparativa entre os desempenhos econômicos das empresas.

Mas atenção: para que seja um cálculo eficaz é preciso que os valores sejam iguais. Claro que não existem empresas idênticas, mas elas precisam ser similares, a fim de evitar divergências futuras. Existe uma equação básica que supre essa necessidade, que é a divisão entre o valor de mercado (pode ser das ações) e a variável que levou à relação entre as organizações comparadas.

Valor patrimonial

Nessa metodologia, leva-se em consideração o patrimônio líquido da organização, mostrando todos os ativos. Para isso, é preciso somar os ativos e subtrair dívidas e outras obrigações que afetam os montantes passivos e não passivos.

Vale lembrar que, independentemente da metodologia utilizada, a capacidade produtiva e a confiabilidade de uma empresa influenciam no seu valor.

Como aumentar o valor de uma empresa?

Existe uma série de estratégias para aumentar o valuation de uma marca diante de investidores. Entre eles, podemos destacar:

Implementação do compliance na companhia

O compliance diz respeito à ação de acordo com as regras, normas e os controles internos e externos de mercado. Simplificadamente, ele é a adequação da companhia em diferentes esferas.

Como uma marca é constituída por uma soma de percepções, a empresa, para ter uma reputação sólida, precisa levar em consideração o desempenho financeiro, as responsabilidades sociais e ambientais, o compromisso com a inovação, entre outros fatores. Isso é possível por meio de ações estratégicas de compliance, as quais incluem a padronização de processos, respeito e atuação ética.

Estabelecimento de vantagens competitivas

Outra maneira de aumentar o valor de uma marca é por meio do estabelecimento de vantagens competitivas.

Essa é a chave para o desempenho sustentável de uma empresa e esse resultado pode ser alcançado de diferentes maneiras, a começar pelo planejamento estratégico da organização, que deve prezar por realizar as economias de escala, investimentos, fidelização de clientes, aumento da qualidade dos produtos, entre outros. Tudo isso leva a empresa a se posicionar de forma competitiva e conquistar potenciais compradores com maior eficácia.

Manutenção de um fluxo de caixa crescente

As vantagens competitivas e implementação de compliance levam a uma empresa mais sustentável financeiramente. E isso ajuda a manter um fluxo de caixa mais sólido e crescente.

Por isso, procure sempre manter as contas em dia e estabelecer estratégias que o coloquem em uma escala positiva, pois isso ajuda a empresa a aumentar o seu valor.

Atrair investimentos para uma organização é um desafio na atualidade, mas não é uma tarefa impossível. Por isso, faça os cálculos corretos do valuation e siga as dicas apresentadas para estabelecer um negócio mais forte e sustentável.

Agora que você já conhecer mais sobre o assunto, compartilhe esse conteúdo nas suas redes sociais e ajude outros gestores a saberem mais sobre o valor de sua marca!