Saiba como agilizar os processos de tomada de decisão

Com a velocidade de mudança do mercado e as exigências dos consumidores aumentando, as organizações precisam se preocupar cada vez mais em agilizar os processos de tomada de decisão. Saiba: é simplesmente fundamental saber o que de fato impacta o negócio, usando essas informações para fazer escolhas acertadas.

Para conseguir que todo o processo se torne mais rápido e facilitado, é importante seguir certos passos. Mostraremos a seguir algumas estratégias que podem ajudá-lo não só a tomar decisões com agilidade, mas também com muito mais precisão. Confira!

Identifique o problema a ser solucionado

Não tem como fugir: o processo de tomada de decisões precisa estar ligado à inteligência competitiva. Com isso em mente, o primeiro passo (que também costuma ser o mais complicado) consiste em efetivamente identificar o problema que precisa ser solucionado. E isso só é possível mediante questionamentos.

A equipe precisa estar preparada para estudar a situação como um todo e repassar as informações para os tomadores de decisão. Aliás, isso nos leva a outro aspecto crucial: a utilização de dados para embasar a escolha, seja ela qual for.

Reúna dados para embasar a decisão

Fazer um bom levantamento de dados é fundamental para uma tomada de decisão mais ágil. Essa etapa ajuda a aprofundar mais nos possíveis caminhos que podem ser seguidos, considerando tanto as vantagens como as desvantagens de cada uma das escolhas.

A busca por informações relevantes deve ter como base a coleta estruturada de dados. Isso quer dizer que primeiramente é preciso definir a periodicidade desse levantamento (contínuo ou periódico), escolher as técnicas que serão aplicadas (estilo de questionários e pesquisas já realizadas) e depois reunir todos os dados em um único lugar.

A propósito, essa junção é uma parte extremamente importante, abrindo espaço para já destacar os dados mais relevantes. Afinal de contas, qualquer que seja a decisão tomada, terá essas informações como base! Elas precisam, portanto, ser consistentes e de fato impactar positivamente o futuro da empresa.

Valide as estratégias com os stakeholders

Imagine que você já tenha os dados em mãos e até pensou em algumas estratégias. Para que seja possível aplicá-las com maior agilidade, porém, é necessário validá-las junto aos stakeholders. Esse grupo precisa legitimar as ações, visto que são diretamente atingidos (de maneira positiva ou negativa) por elas.

Por serem peças-chave na empresa, apresentando os projetos a eles, as chances de que sejam aprovados com maior agilidade aumentam. Além do mais, vale lembrar que, como os stakeholders têm uma visão mais ampla do negócio e sua presença é crucial na gestão dos processos internos, sua validação é o caminho mais curto para o sucesso.

Entenda mais sobre os impactos da decisão

Para que uma decisão tenha menos chances trazer desvantagens futuras para a empresa, é importante procurar formar uma visão global sobre os impactos causados em cada setor da empresa. Afinal, se uma área não funciona da maneira adequada, isso traz prejuízos para todo o negócio.

Antes de tomar qualquer decisão, portanto, é preciso ter esse conhecimento geral. Isso ajuda não só a evitar erros, mas também colabora para o desenvolvimento do negócio. Imagine se uma ação voltada para as vendas gera um impacto no marketing, aumentando os custos, por exemplo. A ideia é alinhar e não melhorar um setor em detrimento de outros.

No fim das contas, a lição que deve ficar aqui é: é muito mais fácil e ágil seguir por um caminho quando se conhece todas as variáveis do percurso que não ter ideia das possíveis consequências de determinada escolha.

Conte com o auxílio da tecnologia

Hoje em dia, trabalhar com qualquer processo que demande eficácia e precisão é praticamente impensável sem a ajuda da tecnologia. E quando falamos sobre a tomada de decisões, são várias as ferramentas que podem ser bastante úteis, realmente ajudando na qualidade da escolha.

Entre os instrumentos disponíveis estão os sistemas de gestão, capazes de melhorar a comunicação interna (fundamental, por exemplo, nas trocas com os stakeholders, trazendo praticidade), bem como dar acesso a relatórios financeiros e dados qualificados, entre outras possibilidades.

Basicamente, o tomador de decisões pode automatizar todo seu trabalho, tendo em vista que os registros de atividades podem ser acessados em tempo real. Isso evita a perda de tempo com processos excessivamente burocráticos ou morosos, como a solicitação de informações.

Envolva as pessoas certas no processo

Na verdade, essa dica é um complemento à consulta dos stakeholders. É preciso lembrar que um processo de tomada de decisões envolve muitas expectativas por parte da empresa, uma vez que um simples passo em falso pode ser determinante para seu futuro. Por isso, é fundamental saber quem (e por que) envolver.

Nesse sentido, a presença do líder da área é crucial. Afinal, será tarefa dele refrear comportamentos que podem ser prejudiciais para a organização, seja persuadindo o grupo a respeito de uma ideia em específico ou criando divisões internas para evitar intrigas, por exemplo. O segredo está em só colocar no grupo pessoas com funções diretamente relativas à decisão, responsáveis depois por passar o que foi acordado para os demais colaboradores, agilizando assim o processo.

Revise seus métodos e considere o ROI

Essa pode ser considerada uma das dicas mais importantes de todas as que foram apresentadas até o momento. O fato é que, se você tem o hábito de guardar muitos dados e envolver várias pessoas no processo, por exemplo, mas tem visto que o fluxo está mais demorado que o habitual, é hora de revisar seus métodos de trabalho, lançando mão de técnicas que ajudam a otimizar o trabalho e torná-lo mais ágil, sem perder em precisão.

Outro aspecto importante é verificar o retorno sobre o investimento (ROI) que tal escolha pode gerar para a empresa. Afinal, é bem mais fácil e rápido tomar uma decisão conhecendo o retorno que ela pode trazer para a organização tanto no que se refere a melhorias operacionais quanto no que diz respeito à lucratividade.

Como vimos ao longo deste post, existem 3 fatores cruciais no processo de tomada de decisão: prioridades estabelecidas, decisores treinados e dados consistentes. É isso mesmo: esses são os principais responsáveis pela agilidade e eficácia das decisões.

E como falamos bastante em dados, você sabia que eles também podem ser usados na gestão de pessoas? Nesse caso, estamos nos referindo ao People Analytics. Quer saber mais sobre o assunto? Então baixe agora mesmo nosso e-book!