O que é saúde organizacional e como medi-la?

Como gestor, você certamente já percebeu que vivemos um momento de extrema competição. E essa competitividade se dá tanto entre empresas como internamente, entre os próprios colegas de trabalho, tendendo a elevar os níveis de pressão e estresse.

Esse cenário se estabelece porque, cada vez mais, colaboradores e equipes são cobrados pelos resultados que produzem. O detalhe é que essa cobrança contínua deveria vir acompanhada de uma liderança equilibrada, bons relacionamentos e alinhamento de objetivos, entre diversos outros aspectos. Pois é aí que entra a saúde organizacional.

No post de hoje, vamos explicar esse conceito, além de mostrar como a saúde organizacional impacta as empresas, como pode ser medida e melhorada. Se você quer tornar seu espaço de trabalho melhor para toda a equipe, continue acompanhando!

O que é saúde organizacional?

Como o próprio nome já sugere, a saúde organizacional está relacionada à saúde da empresa como um todo, englobando o clima da instituição e as condições de trabalho oferecidas aos colaboradores.

Estão incluídos aí fatores como qualidade de vida, motivação, relacionamentos empresariais, saúde e satisfação dos profissionais em relação a suas funções — basicamente tudo que contribui para construir um ambiente profissional agradável.

Que impactos gera nas equipes e nos resultados?

Por ter influência direta sobre a motivação dos colaboradores, a saúde organizacional gera impactos significativos sobre a produtividade da empresa como um todo e até sobre as taxas de acionistas.

Para você ter uma ideia, de acordo com o Índice de Saúde Organizacional da consultoria internacional McKinsey, práticas nesse sentido podem aumentar em 3 vezes o retorno que as empresas oferecem a seus acionistas a médio e longo prazos.

Entenda desde já: quanto maior é a saúde organizacional, maior é o alinhamento entre a visão da empresa, as lideranças, a estratégia e a cultura transmitida aos funcionários. Consequentemente, o clima para trabalhar se torna mais leve e fluido. Sem contar que uma saúde organizacional elevada também é sinônimo de qualidade na execução dos processos, inovação e aprendizagem.

Por tudo isso e muito mais, é simplesmente imprescindível medir a saúde organizacional de forma objetiva, quantitativa. Afinal de contas, só assim é possível conhecer a real situação presente a fim de buscar oportunidades de melhoria capazes de beneficiar a todos na organização.

Como medir a saúde organizacional?

Para a mensuração da saúde organizacional ser feita de forma quantitativa, a empresa pode fazer pesquisas entre os colaboradores, coletar dados do sistema de gestão, avaliar taxas estratégicas, entre outros métodos possíveis. O segredo está em usar indicadores específicos e considerar os critérios certos. Confira os principais a seguir!

Pesquisa de clima

A pesquisa de clima busca compreender a qualidade do ambiente proporcionado pela empresa a seus colaboradores. Para aplicá-la, o negócio pode usar um modelo de questionário já pronto ou desenvolver suas próprias perguntas, incluindo questões relativas à satisfação com a função, ao relacionamento, à transparência, ao alinhamento com a organização, à comunicação interna, aos resultados e ao que mais achar relevante.

No exemplo de questionário que trazemos aqui, cada funcionário deve responder anonimamente às perguntas, marcando simnão ou às vezes para cada item. A orientação para os colaboradores é que simplesmente reflitam sobre as seguintes afirmativas:

  • a remuneração é suficiente para atender às minhas necessidades;
  • a remuneração que recebo é adequada ao trabalho que realizo;
  • meu trabalho está sendo bem aproveitado em minha área de atuação;
  • tenho prazer em fazer o que faço;
  • o trabalho toma a maior parte do meu tempo e sempre tenho muito a ser feito;
  • estou satisfeito por trabalhar nessa empresa;
  • a empresa proporciona treinamentos para aprimorar meu trabalho;
  • confio nas decisões do meu líder;
  • acredito que meu chefe tem capacidade de liderança;
  • sou informado pelo meu líder sobre o que ele pensa do meu desempenho;
  • meu desempenho no trabalho é avaliado de forma adequada;
  • meu líder me elogia quando faço um bom trabalho;
  • meu líder é aberto a sugestões;
  • meu líder transmite todas informações de que preciso para fazer meu trabalho;
  • meu líder aceita que eu diga o penso sobre o trabalho e os colegas;
  • meu líder serve de exemplo para a equipe;
  • meu líder incentiva o trabalho colaborativo;
  • minha equipe tem um bom clima de trabalho;
  • a equipe em que trabalho se relaciona com harmonia;
  • a equipe me trata com respeito;
  • fazemos reuniões periódicas entre os membros da equipe;
  • quando algo muda na empresa, sempre sou informado;
  • a empresa me dá oportunidades de crescimento profissional;
  • a empresa oferece bons produtos/serviços aos clientes;
  • a empresa tem uma infraestrutura adequada;
  • sempre faço o máximo possível para ter um desempenho acima do esperado;
  • pretendo continuar nessa área profissional por alguns anos.​

Taxa de turnover

O turnover nada mais é que a rotatividade de colaboradores — troca de funcionários. A lógica é simples: quanto mais pessoas entram e saem da organização, maior é a taxa.

Esse é um indicador importante para avaliar a saúde organizacional, já que funcionários satisfeitos tendem a permanecer na casa por mais tempo. Um índice alto não só indica que há algo errado no clima corporativo como também compromete a produtividade e os relacionamentos entre os membros da equipe.

Net Promoter Score

O eNPS é um método bastante eficaz para mensurar o grau de lealdade e satisfação dos funcionários em relação à empresa. Simples de aplicar, o eNPS consiste em 4 questões que devem ser respondidas de forma anônima. São elas:

  1. em uma escala de 0 a 10, pense no quanto você recomendaria a empresa como um bom local de trabalho;
  2. em poucas palavras, diga o que motivou sua resposta;
  3. em uma escala de 0 a 10, pense no quanto você recomendaria seu líder de equipe como uma boa pessoa para se trabalhar;
  4. em poucas palavras, diga o que motivou sua resposta.

Como melhorar a saúde organizacional?

Programas de saúde

A oferta de bons programas de saúde contribui para que o funcionário se sinta cuidado e valorizado. Além disso, com a saúde em dia, as pessoas ficam mais motivadas, consequentemente passando a produzir mais. Como resultado, a empresa também sai beneficiada.

Incentivo ao aprendizado

É fato: empresas que admitem o erro estão muito mais propensas a inovar e criar vantagem competitiva em seu setor de atuação. Afinal, para que a equipe se sinta satisfeita, seja produtiva e traga novas ideias, é fundamental criar um ambiente onde o aprendizado é incentivado e o erro é visto como um passo natural para quem está se aperfeiçoando.

Aposta na automação

Atualmente, muitas atividades mecânicas ou burocráticas podem ser automatizadas por meio de softwares e soluções digitais. Ao fazer isso, a empresa libera os colaboradores para atuarem de forma mais estratégica e criativa, fazendo com que se sintam mais úteis, produtivos e motivados.

Nível de flexibilização

Ao flexibilizar regras e horários, o negócio dá mais autonomia para cada funcionário em relação à gestão de suas tarefas, incentivando o crescimento profissional e a formação de líderes. Um exemplo disso é o trabalho a distância. Com a transformação digital e a possibilidade de compartilhamento de informações na nuvem, muitas tarefas já podem ser feitas em regime de home office.

Como mostramos neste post, a saúde organizacional é um indicador muito importante para qualquer negócio. Deve, assim, ser constantemente medida a fim de promover aprimoramento, trazendo produtividade e lucratividade para a empresa. Se a companhia se dedica a esse ponto, os resultados não demoram a aparecer.

Agora que você compreendeu a importância da saúde organizacional, não perca a chance de monitorar de perto o que acontece na sua empresa! Para ajudar, publicamos um e-book gratuito sobre Analytics. Confira!