Conheça as 6 novas tendências em educação corporativa

Hoje em dia, a educação corporativa é uma das estratégias de crescimento mais proeminentes das empresas. Isso se explica pelo fato de o conhecimento dos profissionais ser um dos ativos mais importantes de qualquer organização. É por meio dele, afinal, que a empresa consegue se desenvolver e alcançar lugar de destaque no mercado.

Como é de se imaginar, com o maior uso das tecnologias nos ambientes corporativos, a maneira como as organizações treinam seus colaboradores também mudou. Embasados nessa ideia, mostraremos a seguir algumas das principais tendências em educação corporativa. Continue a leitura e descubra as novidades que otimizarão os processos de desenvolvimento na sua empresa!

O que é educação corporativa?

Antes de efetivamente falarmos sobre as tendências em educação corporativa, é fundamental entendermos melhor o conceito por trás do termo. Podemos defini-lo como uma prática da gestão de pessoas que tem como principais objetivos desenvolver e treinar os colaboradores de maneira estratégica, fazendo com que contribuam com o crescimento da organização.

Mais que promover treinamentos, a educação corporativa busca alinhar as competências individuais dos colaboradores e as habilidades necessárias para o bom funcionamento da organização. O resultado desejado é ao mesmo tempo simples e ousado: tornar a empresa inovadora e aumentar a competitividade dos produtos ou serviços por ela oferecidos.

Quais as tendências na área?

Como dissemos, as tecnologias transformaram o dia a dia das organizações. Com a educação corporativa, o cenário não foi diferente. Novos métodos de ensino foram criados, visando não só o melhor aproveitamento do colaborador, mas também um controle mais eficaz por parte da gestão, a fim de personalizá-los de acordo com as demandas do mercado. Confira agora 6 das principais tendências na área!

1. Gamificação

A gamificação consiste no uso de jogos para treinar e desenvolver colaboradores internamente. A ideia é que, por meio dessa ferramenta, o profissional possa se engajar mais, encontrando soluções para problemas e melhorando seu aprendizado. Mas qual a ligação disso com a educação corporativa?

Nesse caso, os jogos não têm um caráter simplesmente de diversão. À medida que avança nas fases, o colaborador adquire mais conhecimento e desenvolve habilidades fundamentais para seu cotidiano profissional — como vender um produto recém-lançado no mercado.

Além de criar um clima de competição saudável entre os funcionários, a gamificação traz outros benefícios, como:

  • cria um sentimento de confiança nos colaboradores, o que consequentemente se reflete em busca por um desempenho cada vez melhor;
  • permite ao RH medir o desempenho de cada funcionário a fim de aperfeiçoar os treinamentos e melhorar outros aspectos internos;
  • proporciona maior acessibilidade e flexibilidade, pois o funcionário pode acessar um conteúdo que não está engessado, tendo à sua disposição um design diferenciado.

2. E-learning

Basicamente, o e-learning pode ser definido como um método de ensino em um ambiente digital. Nesse caso, todo o conteúdo programático é disponibilizado em uma plataforma online para que os colaboradores tenham acesso. A ideia é promover o ensino a distância (EAD), visto que nem sempre os profissionais estão disponíveis fisicamente para um treinamento.

Por meio de uma prática dinâmica, o e-learning traz flexibilidade tanto para o profissional quanto para a empresa. A organização pode, por exemplo, personalizar os conteúdos e atualizá-los de acordo com as demandas do mercado. Mas não é só esse benefício identificado! Na verdade, a aplicação do e-learning traz uma série de vantagens, como:

  • menor custo em relação aos métodos tradicionais, visto que o investimento maior será na plataforma;
  • maleabilidade para o próprio aluno definir seu ritmo de aprendizagem;
  • oportunidade para a empresa diversificar os treinamentos e atualizá-los quando desejar;
  • possibilidade de acompanhamento mais próximo do desenvolvimento dos colaboradores, garantindo assim maior precisão e atenção a demandas individuais.

3. Webinar

Outra novidade para a educação corporativa, o modelo de webinars promete se tornar uma das ferramentas mais usadas pelas empresas nos próximos anos. Antes de mais nada, tenha em mente que, hoje, uma das maiores dificuldades das organizações é justamente com relação à aderência do conteúdo e também à sua dinamicidade. Aí entra o webinar.

Por meio desse recurso, que pode ser definido como uma webconferência fundamentada na estratégia de marketing de conteúdo, a empresa facilita o processo de absorção das informações para os colaboradores. Isso acontece porque os webinars possuem chats para trocas entre funcionários e tutores, permitindo tirar dúvidas em tempo real.

Outras vantagens percebidas são o baixo investimento necessário, se comparado aos treinamentos presenciais, além da possibilidade de oferecer um conteúdo atualizado sobre as regras organizacionais para os colaboradores — como sobre legislação ou padrão de melhoria dos produtos ou serviços.

4. Personalização

Quantas vezes sua empresa não investiu alto em treinamentos, mas, no decorrer do processo, acabou percebendo que a capacitação não se encaixou tão bem às necessidades da equipe? Pois isso é mais comum do que você imagina. A boa notícia é que, na educação corporativa moderna, as chances de erros diminuirão consideravelmente.

Cada vez mais empresas têm investido em treinamentos direcionados a necessidades específicas. Um deles está baseado nas competências necessárias aos colaboradores para que executem seu trabalho com excelência. A ideia é alinhar aquelas habilidades que eles já possuem, mas que ainda não são usadas em sua totalidade — como ter mais proatividade no cotidiano organizacional.

5. Mobile

Seguindo a mesma ideia do e-learning, que é ensinar os colaboradores por meio de plataformas digitais, o mobile learning traz ainda mais praticidade ao cotidiano dos colaboradores. Isso porque eles poderão aprender de qualquer lugar e a qualquer momento, tendo todo o conteúdo sempre disponível na palma da mão.

O material se torna mais atrativo quando também é desenvolvido para dispositivos móveis, além de permitir uma interatividade maior no aprendizado. O método é especialmente interessante para as empresas visto que dá a elas a possibilidade de inserir informações rápidas, bem como de integrar redes sociais corporativas, permitindo trocas entre profissionais sobre os conhecimentos adquiridos.

6. Neuropsicologia

A Neuropsicologia é um ramo da Psicologia que estuda a relação entre o cérebro e o comportamento humano. Ela busca entender o funcionamento da memória e do pensamento e como eles se relacionam com o processo de aprendizagem. Seu uso crescerá ainda mais quando relacionado aos treinamentos.

Por meio desse método, será possível entender quais conteúdos e práticas mais prendem a atenção dos colaboradores, por exemplo. A partir disso, os gestores podem estabelecer estratégias mais eficazes, específicas para a realização das atividades da empresa.

Como viu ao longo deste post, as tendências da educação corporativa estão ligadas ao uso das novas tecnologias. Por isso, antes de implementar qualquer novidade, certifique-se de que a equipe está apta a lidar com essas ferramentas modernas.

Por fim, se gostou do nosso post, que tal compartilhá-lo em suas redes sociais? Assim você mostra as novidades que serão proeminentes no mercado de educação corporativa para outras pessoas interessadas!