BPO jurídico: saiba o que é e quais os impactos em empresas de qualquer porte

Soluções de BPO jurídico podem agregar valor às operações de pequenas, médias e grandes empresas, proporcionando melhorias contínua nos processos jurídicos, bem como a modernização de sistemas e metodologias de gestão, além de redução de riscos. Assim, a companhia torna-se mais competitiva e preparada para enfrentar os desafios diários da sua área de atuação.

 

Em um país com uma das maiores cargas tributárias do planeta, ordenamento jurídico extremamente complexo e estrutura burocrática inigualável, ser competitivo é tarefa difícil aos gestores e empresários brasileiros. E esse ambiente hostil ao empreendedorismo ainda é agravado por uma crise econômica que já se arrasta há alguns anos.

Diante desse cenário, é preciso se reinventar para reduzir custos e, simultaneamente, otimizar os processos internos. A boa notícia é que essa reviravolta positiva vem sendo conseguida pelos grandes players do mercado graças ao Business Process Outsourcing (BPO), sobretudo o BPO jurídico.

Quer saber como isso é possível? Então confira os próximos tópicos para entender o que é BPO e como ele pode ajudar seu negócio!

Quanta energia é gasta na gestão jurídica da empresa?

Independentemente do tamanho do empreendimento, a verdade é uma só: fica cada vez mais difícil controlar a gestão de contencioso com a centralização dos departamentos jurídicos. Tanto pelos altos custos envolvidos como pela necessidade dos profissionais da área terem conhecimento de outros setores que não só o jurídico, a tendência é que, com o tempo, essa concentração de esforços in house seja extinta do ambiente empresarial.

Responda rapidamente: você sente que sua empresa poderia obter melhores resultados com acordos judiciais? Qual o percentual de improcedência das ações trabalhistas movidas contra sua organização? Em virtude do volume, o acompanhamento das movimentações de suas ações tem se tornado um ponto crítico em seu departamento jurídico? Há monitoramento de indicadores na gestão do contencioso?

A razão por trás desses questionamentos é simples e direta: tem se tornado quase impossível para as empresas centralizar todos os seus processos legais em um departamento jurídico interno. E é principalmente isso o que explica o avanço do BPO e por que o BPO jurídico tem uma expectativa de crescimento mundial por volta dos 30% ao ano até 2020, segundo levantamento da Grand View Research.

Por que o modelo centralizado está se tornando ineficaz?

Aqui entram as mais diferentes razões. Vamos começar pela diversidade das matérias a serem apreciadas, o que exigiria uma formação específica de cada profissional. Ou seja, o ideal seria, portanto, contratar advogados com especializações diversas, o que teria como contrapartida a geração de custos mais elevados com a folha de pagamento.

Também é preciso considerar a quantidade de ações judiciais contra as empresas, número que simplesmente disparou nos últimos anos — sobretudo as ações trabalhistas, cujo volume aumentou 12,3% só em 2015. Esse cenário torna mais difícil controlar todas as demandas.

Ainda vale a pena destacar que o Brasil é o recordista mundial em litígios trabalhistas. Só em 2016 foram registradas mais de 3 milhões de novas ações, número 50 vezes maior que a média mundial. Naturalmente, a carga de trabalho da área acaba sendo uma das maiores de qualquer empresa do setor.

É válido destacar também a complexidade do sistema tributário nacional, que é absurda. Para se ter uma ideia, o Brasil produz, em média, 46 novas leis tributárias por dia útil! Diante disso, a elaboração de um eficiente gerenciamento fiscal e tributário exige quase ter uma empresa inteira dedicada apenas a esse ponto!

O planejamento tributário pode ter um papel chave nos lucros do negócio. Bem feito, ele reduz erros, aumenta a economia da empresa e facilita a realização de novos investimentos. Porém, como isso é muito difícil de acontecer, principalmente por conta dos custos que seriam necessários para implantar esse tipo de gestão interna, os prejuízos com multas aplicadas pelo fisco podem ajudar a dizimar o capital de giro das empresas.

Por fim, outro dado alarmante: as organizações brasileiras perdem, em média, 342,6 horas por ano com gestão de tributos, 12 vezes mais tempo que as companhias europeias. Adiantamos então que um BPO jurídico (outsourcing) pode resolver esta questão.

Sabe o que é BPO jurídico e investir nessa solução permite que a empresa tenha uma rotina mais inteligente e flexível. Os profissionais conseguirão cruzar mais conhecimentos e trabalhar conforme as principais tendências do mercado. Dessa forma, a empresa poderá evitar prejuízos e tornar-se mais competitiva.

Como definir o ambiente jurídico nacional?

O ordenamento jurídico brasileiro é extenso, confuso e sobreposto, características que formam um ambiente normativo de complexidade sem precedentes no mundo. Segundo dados do relatório Justiça em números 2016, publicado pelo Conselho Nacional de Justiça, a quantidade de processos tramitando no poder judiciário brasileiro chegou a 102 milhões, montante muito superior ao que tramita em países como os Estados Unidos.

O Brasil figura, assim, entre as nações mais litigantes do mundo, sendo o 2ª país na quantidade de advogados per capita — perde apenas para os EUA, segundo dados divulgados pela Clements Worldwide. Nesse ambiente altamente desafiador e pouco amigável aos empreendedores, a estruturação de uma área jurídica atuante e próxima do negócio é, sem dúvida, um diferencial competitivo.

Até a década de 1990, os departamentos jurídicos eram vistos como empecilhos aos negócios. Muitas vezes, essa área era associada a gastos que a companhia procurava não ter.

Atualmente, no entanto, com a abertura de mercados, fusões, necessidade de compliance, disputas tributárias milionárias e altíssimo volume de demandas trabalhistas, contar com uma gestão legal eficiente pode ser a linha divisória entre o crescimento e a estagnação empresarial. Essa parte da empresa passou a ter um papel chave para que o negócio consiga reduzir custos, encontrar a melhor maneira de posicionar-se no mercado e evitar multas. Em outras palavras, os investimentos na área tornaram-se um fator estratégico para qualquer companhia.

O que é BPO jurídico e como ele pode agregar ao negócio?

A diversidade de demandas judiciais a que uma empresa está sujeita exige que os advogados in house (aqueles que atuam dentro do negócio) conheçam ao menos os princípios básicos de contabilidade, finanças, TI, recursos humanos e marketing entre outras disciplinas com as quais não tiveram nenhum contato na graduação. Assim, o custo para montar uma estrutura jurídica de excelência é bastante alto.

De toda forma, mesmo que esse nível de expertise seja alcançado, o desvio de foco do core business da organização acaba se mostrando inevitável. É justamente para conciliar baixo custo, maior qualidade de serviço e foco no negócio que muitas empresas recorrem ao BPO jurídico. Vale destacar aqui que, ao recorrer ao outsourcing jurídico, a empresa passa a ter os seguintes benefícios:

  • ganhar velocidade na interposição de recursos, evitando perdas de prazo — intempestividade e revelias;
  • garantir um gerenciamento eficiente de ações com o auxílio dos mais modernos sistemas de informação;
  • ter à disposição da empresa os melhores profissionais do Direito, em todas as esferas sem ter que despender um grande volume de recursos com contratações e folha de pagamento;
  • assegurar a elaboração de contratos e alterações de cláusulas sem risco de brechas jurídicas que gerem prejuízos à organização — agregação de valor pela parceria com empresas que possuem expertise nos temas tratados;
  • ter um parceiro para prestação de consultoria jurídica e emissão de pareceres sobre as mais diversas demandas que circundam a realidade da companhia — garantia de compliance;
  • mais eficiência na elaboração de indicadores de desempenho e relatórios gerenciais.

Em outras palavras, o BPO jurídico pode trazer um grande ganho de competitividade para o negócio. A empresa conseguirá atuar de maneira estratégica na resolução de demandas de clientes e parceiros comerciais, uma vez que todas as rotinas que dependem do apoio do setor jurídico terão mais agilidade, precisão e flexibilidade.

Como escolher uma empresa de BPO jurídico alinhada com as necessidades do seu negócio

A escolha de uma companhia de BPO jurídico pod envolver uma série de detalhes. E para que o negócio consiga obter todos os benefícios dessa solução, alguns cuidados podem ser tomados. Entre os três mais importantes, destacamos:

Tenha objetivos claros

O BPO jurídico é um serviço flexível. E para garantir a escolha certa, a empresa deve ter objetivos claros ao investir nessa solução. Dessa forma, ela consegue criar uma estratégia inteligente, que garanta o crescimento contínuo do negócio e evite erros a médio e longo prazo.

Adote métricas de desempenho

As métricas de desempenho são um importante mecanismo para identificar se algum serviço está funcionando dentro do esperado. Ao contratar uma empresa de BPO jurídico, crie indicadores para avaliar o impacto das atividades executadas e se elas foram capazes de atender às metas da companhia. Dessa forma, será possível efetuar mudanças rapidamente e garantir o maior retorno sob o investimento possível.

Busque por uma companhia alinhada com o perfil da sua empresa

Quando a empresa escolhe investir nos serviços de uma empresa parceira, é importante que ela busque o apoio de uma companhia que possa ajudá-la a atingir os seus objetivos de médio e longo prazo. E para que isso seja possível, é importante direcionar a sua escolha para uma companhia que esteja alinhada com o perfil do seu negócio. Nesse sentido, alguns pontos devem ser levantados, tais como:

  • se a empresa possui experiência no seu setor;
  • qual a experiência da companhia com o BPO jurídico;
  • se eles já trabalham com outras companhias que possuem um tamanho ou área de atuação próxima da sua empresa.

Não se esqueça de avaliar se o negócio possui certificações de qualidade. Elas são uma importante maneira de identificar se um empreendimento possui um grande comprometimento com serviços de qualidade.

Outsourcing é o mesmo que terceirização?

É importante destacar que outsourcing vai muito além da terceirização. A terceirização envolve a simples desconcentração de serviços operacionais para qualquer outra empresa que se encarregue dessas funções.

outsourcing, por sua vez, estabelece uma parceria sólida com uma empresa dotada de alta expertise e reconhecimento no mercado, assumindo processos internos estratégicos do seu negócio (como TI, jurídico e finanças). As mais modernas tecnologias serão empregadas na gestão desses processos, com metas e SLAs previstos em contrato.

No BPO, por exemplo, faz-se um diagnóstico profundo de todas as atividades jurídicas da empresa. A companhia contratada fará um levantamento das falhas existentes para identificar qual a melhor forma de redesenhar os processos de baixa performance.

Além disso, será feita a implementação de novos sistemas de trabalho para gerar mais performance interna. Tudo com base em automatizações e tecnologias de ponta.

Como resultado, o desempenho das atividades jurídicas da empresa sofrerá uma melhora significativa. E ainda tem mais: todo esse processo será monitorado por meio de indicadores de desempenho, com ampla participação da cúpula da companhia. Dessa forma, qualquer erro ou problema na aplicação das mudanças será mensurado, permitindo que otimizações sejam feitas continuamente.

As soluções de BPO jurídico podem agregar valor às operações de pequenas, médias e grandes empresas. Elas proporcionam melhorias contínua nos processos jurídicos, bem como a modernização de sistemas e metodologias de gestão, além de redução de riscos. Assim, a companhia torna-se mais competitiva e preparada para enfrentar os desafios diários da sua área de atuação.

Gostou do nosso post e quer saber como o BPO jurídico pode ser implementado no seu ambiente de trabalho? Então entre em contato com um de nossos consultores!